Reiventô: como fica a arte em tempos de pandemia?

Hey, formore! Tudo certinho?

Você já notou o quanto “aquela” música foi ouvida nesta quarentena? Ou como indicou “aquela” série que você resolveu dar uma chance só porque “ah, tô sem nada pra fazer mesmo” e acabou até curtindo e esperando a próxima temporada? Isso sem contar as nossas queridinhas que maratonamos e quando vemos, e se deixar assistimos tudo de novo só porque a gente tá de em casa mesmo e ama muito?

Já reparou que todo esse conteúdo que consumimos e que se multiplicou mil vezes mais agora durante a pandemia é arte? E que um milhão de outras coisas que a gente faz ou consome e nem se dá conta, também pode ser?!

Às vezes nos perguntamos: “será que isso que eu estou vendo é arte?”, “o quão artístico é isso?”. E te digo aqui com toda propriedade, amigo. Isso é! Tudo é arte. 

O que é arte?

Uma pintura na rua, uma melodia diferenciada, uma comunicação desconhecida, uma roupa, um estilo, uma peça de teatro e muito mais! Tudo aquilo que vem da sua imaginação e que pode proporcionar algum tipo de interesse ou entretenimento a alguém, é arte.

E não só isso, as coisas que fazemos diariamente sem nem ter o mínimo de ambição também são. Como aquele story que a gente faz do café da manhã perto da janela com a luz do sol entrando, ou então, a foto que você tirou e passou um tempão editando pra ficar de acordo com o feed… Tudo isso faz parte desse mundo maravilhoso que a gente não pode deixar de lado e lembrar que precisa da nossa perspectiva.

Tô te falando isso, porque tem um monte de teatros e atores independentes, por exemplo, que estão fechados e sem emprego nessa quarentena. É aí que a gente se pergunta: “como é que eles estão fazendo?”. 

Ah, mas aqui o pessoal não brinca em serviço. Fizemos uma pesquisa por aí e notamos que não adianta, todo mundo se rendeu às plataformas digitais e aos streamings.  E não seriam os artistas que ficariam de fora, né?

Como estão os artistas em tempos de pandemia?

Alguns estão fazendo as famosas lives com conteúdo de comédia, ou até mesmo recitando alguns textos dramáticos. Os cantores estão entretendo como podem e até mesmo convidando outras pessoas a apoiarem seu trabalho, deixando um dado bancário para quem quiser ajudar. Complicado, né?!

Mas como será que a gente pode ajudar nessa? Eu te respondo! Consumindo como e o quanto pudermos e divulgando! Quem já está apto a sair de casa pode ir ao teatro, por exemplo; que já está de volta com carga reduzida de pessoas. Mas quem ainda está de quarentena é legal sempre indicar para as pessoas o que e como consumir e apoiar muito um artista local. 

Você também pode procurar projetos para apoiar e divulgar vaquinhas voltadas para o benefício de artistas. O que não falta é gente talentosa por perto que, às vezes, estão sem audiência por falta de apoio.

Não adianta, você há de concordar comigo que nós já éramos viciados nessa coisa toda que é muito maravilhosa, mas agora então, nosso vício triplicou! E quer saber? Depois desse texto, refletindo aqui, eu vou é pensar em me matricular em um curso de teatro, porque nessa quarentena tive a total certeza que tenho todo potencial pra ganhar um Oscar na categoria “drama”! Isso é uma coisa que eu faço e muito bem.

Mas me conta, você também já refletiu o quanto de arte que estamos consumindo? O que acha que mudou e que vai levar pro resto da vida após a quarentena? Quero ver você dividir tudo comigo! Te espero, tá?!

Fala aê
Skip to content